Venda do atacante Pepê ao Porto deve render R$ 30,3 milhões a clube do interior do Paraná

 

A venda do atacante Pepê do Grêmio para o Porto, de Portugal, vai encher os cofres também doFoz do Iguaçu. O clube paranaense revelou o jogador, hoje com 23 anos, e ainda tinha 30% dos direitos econômicos dele. Ao todo, o Foz deve receber R$ 30,3 milhões.

Dos 15 milhões de euros (R$ 98,1 milhões pela cotação atual) da venda, o Foz ficará com aproximadamente R$ 29,43 milhões referentes aos 30% e R$ 981 mil pelo mecanismo de solidariedade da Fifa.

Atualização: o valor que o Foz vai receber é de aproximadamente R$ 30,3 milhões e não de R$ 38,6 milhões, conforme publicado originalmente. A matéria foi corrigida às 23h19.

O pagamento pela negociação, contudo, não é imediato ao Foz do Iguaçu, que receberá sua parte apenas em agosto de 2022. O Grêmio receberá parcelado em quatro vezes: junho e agosto de 2021 e janeiro e junho de 2022.

Em compensação, o Foz tem direito a pouco mais de 1% por participar da formação de Pepê, através do mecanismo de solidariedade, entre 2014 e 2016. O pagamento de cerca de 980 mil euros (R$ 5,9 milhões na cotação atual) é de responsabilidade do Porto.

Vale destacar que o Foz do Iguaçu está inativo no futebol. A equipe foi rebaixada no Campeonato Paranaense de 2019 e pediu licença à Federação Paranaense de Futebol (FPF) em 2020.

Pelo Foz, Pepê fez apenas 12 jogos e marcou cinco gols em duas temporadas: 2015 e 2016. Em sua história, iniciada em 2005, o Foz disputou a elite paranaense em seis anos (2009 e 2015 a 2019), três edições da Série D (2015,2017 e 2019) e uma da Copa do Brasil (2019).

No site oficial, o Porto informou que o contrato do atacante com o time português vai até 2026, com cláusula de rescisão de 70 milhões de euros (R$ 458 milhões). O Foz ainda pode receber novos valores em uma revenda por conta do mecanismo de solidariedade da Fifa.

 

Passagem curta e cinco gols pelo Foz

Pepê chegou ao Foz em 2014 após dois anos nas categorias de base do Athletico. No fim de 2015 e início de 2016, o atacante chegou a vestir a camisa do Coritiba por empréstimo, mas não foi aproveitado no elenco principal. Ele disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Copinha – o Coxa não exerceu a opção de compra por R$ 400 mil.

No mesmo ano, Pepê disputou o Campeonato Paranaense pelo Foz, se destacou e foi emprestado ao Grêmio para a categoria sub-19. A estreia pelo Tricolor gaúcho aconteceu em 2017, diante do Sport, na terceira rodada do Brasileirão.

Pepê passou a ser aproveitado com mais frequência a partir de 2018 e começou a se destacar na temporada seguinte. Já em 2020, ele assumiu o protagonismo da equipe com a venda de Everton Cebolinha ao Benfica. Na atual temporada, marcou 15 gols em 54 jogos disputados. Pepê tinha contrato com o Grêmio até 2024 e permanece no Grêmio até o final de junho.

 

Coritiba e Athletico também recebem

Pepê esteve no Athletico em 2012 e 2013, quando tinha 14 e 15 anos, respectivamente. Por conta do mecanismo da Fifa, o Furacão tem direito a 0,5% – equivalente a R$ 440 mil.

Já o Coritiba contou com o jogador por menos de um semestre, entre setembro de 2015 e fevereiro de 2016. O clube tem direito a um percentual de quase 0,25%, o que daria aproximadamente R$ 160 mil.

 

 

Globo Esporte

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?