SENAD prende brasileiro no Paraguai

O brasileiro Fabrício Santos Da Silva, também conhecido como “Guri” ou “Nené”, de 37 anos, foi preso na manhã desta terça-feira (4) em um luxuoso condomínio de Hernandárias, no Paraguai. Ele é considerado pelas autoridades do Brasil o chefe da organização “Os Manos”, do Rio Grande do Sul.

Fabrício foi condenado há mais de 70 anos de prisão, pela justiça brasileira, por envolvimento em diversos crimes como tráfico de drogas, homicídios e assaltos, informou a Senad.

De acordo com o site Ultima Hora do Py – A operação da Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) foi realizada no início desta terça-feira na cidade de Hernandarias, no Departamento de Alto Paraná , de acordo com o que o ministério do estado publicou em sua conta oficial no Twitter.

Durante o processo, Fabrício Santos da Silva, conhecido como Nenê o Guri, 37, foi preso, acusado de ser o chefe brasileiro da Organização Penal Os Manos do Rio Grande do Sul, do Brasil , e tem 70 anos de prisão por vários crimes no vizinho. País.

Um cidadão paraguaio chamado Francisco Brítez, com histórico de posse de cocaína em 2003, também foi detido por agentes da Senad, que aparentemente era secretário do chefe de narcóticos, informou o NPY.

A mídia brasileira relata que o homem havia recebido prisão domiciliar por 90 dias em seu país no final de março deste ano por pertencer a um grupo na faixa de risco de contágio Covid-19 . Ele foi guardado com um bracelete eletrônico por ordem da Superintendência de Serviços Penitenciários, que ele conseguiu destruir e fugiu em 4 de junho.

O chefe do crime também é um dos responsáveis ​​por articular em 2017 a escavação de um túnel para a fuga maciça da Penitenciária Central do Brasil.

A Justiça brasileira emitiu uma nova ordem de prisão com retorno ao regime fechado.

 

Foto Senad
Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?