Receita Federal e FNCP realizam megaoperação para destruir 183 toneladas de cigarros do crime

Avaliada em R$ 32.7 milhões, carga sai de Mundo Novo (MS) para Foz do Iguaçu (PR), liberando espaço físico para novas ações de repressão ao contrabando no MS.

O Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP) e as Receitas Federais (RFB) de Mundo Novo (MS) e de Foz do Iguaçu (PR) coordenam uma grande força-tarefa para a destruição de 130.8 milhões de cigarros contrabandeados – a vasta maioria proveniente do Paraguai – apreendidos no Mato Grosso do Sul. A ação acontece na quarta-feira, 29 de julho, quando 14 carretas carregadas com o produto contrabandeado deixarão Mundo Novo (MS) e seguirão para Foz do Iguaçu, onde ocorrerá a destruição dos cigarros do crime.

Pensando em alertar a população sobre os impactos e prejuízos do consumo de cigarros contrabandeados, as 14 carretas que farão o transporte até Foz do Iguaçu levarão estampadas em suas laterais, mensagens sobre o impacto do contrabando no Brasil. O objetivo da operação é liberar espaço físico nos depósitos da Receita Federal no Mato Grosso do Sul, de modo a possibilitar a intensificação das ações policiais de apreensão e combate ao contrabando.

A iniciativa é apoiada pela empresa Irmãos Krefta, que realizará a destruição da carga, e pelas Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e Força Nacional, que farão a escolta de toda a operação. Esta é a terceira força-tarefa para a destruição de cigarros contrabandeados realizada com o apoio do FNCP em 2020. No primeiro semestre, foram realizadas operações nos estados do Rio de Janeiro e Maranhão.

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?