Novo parque de lazer: revitalização do Gramadão da Itaipu começa em outubro

 

Com poucas intervenções, muitas novidades e projeto sustentável, o espaço será entregue em dez meses, para moradores e turistas de Foz do Iguaçu.

Até o dia 20 de outubro, o Gramadão da Vila A da Itaipu vai começar a mudar. Com poucas intervenções e projeto sustentável, o local, que já é a “praia de Foz do Iguaçu”, passará por uma revitalização que o tornará ainda mais atrativo aos moradores e turistas. As mudanças vão da arquitetura ao paisagismo, privilegiando a arborização e os espaços de convivência, respeitando o aspecto natural de relevo do terreno e gramado. A previsão é que obra seja entregue em dez meses, ou seja, em agosto do ano que vem.

Um dos pontos de encontro mais frequentados por moradores da Vila A e de boa parte de Foz do Iguaçu, o Gramadão de Itaipu tem 31 mil metros quadrados de área. Para o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a transformação do espaço num parque de lazer, uma das prioridades desde o início da atual gestão da empresa, “vai possibilitar um acolhimento melhor da nossa gente, de todas as idades, do amanhecer ao pôr do sol no local”.

Ainda segundo o general, a ação é mais um incentivo ao turismo, a principal atividade econômica da cidade. “Foz do Iguaçu é uma cidade turística e merece ter investimentos no setor, tanto para atender melhor moradores da cidade como também o visitante, que terá no Gramadão mais um atrativo de qualidade.”

E tanto entusiasmo se baseia exatamente nisso: todas as obras financiadas pela Itaipu têm como foco a melhoria da qualidade de vida da comunidade, desde as estruturantes – como a Ponte da Integração, Perimetral Leste, duplicação da Rodovia das Cataratas e ampliação de pista de pouso e decolagem do Aeroporto de Foz do Iguaçu – às de menor porte, mas bastante significativas, como as ciclovias da Vila A e Avenida Tancredo Neves, entre outras.

O investimento estimado para a revitalização do Gramadão é de R$ 3,9 milhões. A obra atende ao pedido das assessorias de Comunicação Social e de Turismo da Itaipu. A gestão será feita pela Diretoria de Coordenação da empresa. A obra será executada pela Puel Engenharia, de Florianópolis (SC).

Natal

Durante o período de obras, o Gramadão será interditado, para dar celeridade ao projeto. Por isso, excepcionalmente este ano, a programação natalina da Itaipu – que tradicionalmente acontece naquele espaço – será na Igreja Nossa Senhora de Guadalupe, também na Vila A, de 3 a 21 de dezembro, das 20h às 24h. Uma projeção de luz mapeada na arquitetura da igreja vai mostrar um pouco da história de Foz, seus atrativos, diversidade de etnias e a magia da festa natalina.

Novidades

Haverá sinalização nas imediações mostrando como será o novo Gramadão. Entre as novidades está o calçadão arborizado que será construído na Rua Guará, atrás da Concha Acústica, dando um novo uso à via no trecho entre a Avenida Paraná e a Rua Perdigão. Este calçadão foi projetado para receber as barraquinhas de comida, que migrarão da Avenida Silvio Américo Sasdelli para este novo local, com iluminação, segurança e espaço mais adequados. Será também uma nova entrada ao Gramadão, com acesso direto ao parquinho.

Esta é a maior revitalização do espaço desde o final dos anos 90, quando ali foi promovido o primeiro Natal de Foz e, logo em seguida, em 2000, foi construída uma nova infraestrutura, com concha acústica e sanitários.

O projeto prevê melhorias no mobiliário urbano, ordenamento e adequação das barraquinhas de comidas. O modelo de concessão de uso do espaço ainda está sendo definido e será divulgado futuramente.

A revitalização também contempla nova iluminação, embelezamento do local, arborização, sinalização, instalação de arquibancadas de concreto, criação de rampas e adaptação da concha acústica para diferentes tipos de espetáculos, com elevação do nível abaixo do palco, diminuindo a distância para o público nas apresentações. O parquinho para as crianças será mais lúdico, com mais opções de diversão.

O arquiteto Henrique Gazzola de Lima, da Divisão de Planejamento de Infraestrutura, explica que o projeto respeita as características positivas do Gramadão, como a amplitude do terreno, a topografia e a diversidade de usos, mas traz melhorias importantes, como o maior sombreamento e mais lugares para sentar e curtir o espaço público. A gerente da mesma área, Janine Alicia Groenwold, reforça que a decisão de interditar o espaço “é para garantir que a obra seja entregue dentro do prazo planejado”.

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?