Itaipu “diz X” e adere movimento mundial da Síndrome do X Frágil em seus imóveis

Alguns pontos turísticos da usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu, uma das maravilhas da Engenharia, vão ganhar a cor azul no próximo mês para marcar o Dia Mundial da Síndrome do X Frágil (22 de julho). A condição afeta o desenvolvimento intelectual, o comportamento e provoca atrasos na fala. De 19 a 25 de julho, a hidrelétrica vai iluminar, no tom da campanha, a fachada do Centro de Recepção de Visitantes, na entrada da barreira da usina, e as calotas do Parque da Piracema.

A usina adere ao movimento organizado pelo Instituto Buko Kaesemodel para conscientizar a população sobre essa afecção genética, ainda pouco conhecida e difundida. O instituto será a única instituição brasileira a participar da ação, junto com a Global Initiave of Fraxa Reasearch Foundation.

Por causa da pandemia, o atrativo da Iluminação da Barragem não está aberto ao público, daí a opção de iluminar outros prédios da empresa para engajamento nesta ação da Síndrome do X Frágil. Em outras épocas, a Iluminação da Barragem mudou de cor em função de eventos temáticos para conscientização sobre algum tema, como o Outubro Rosa (câncer de mama), o Novembro Azul (câncer de próstata) e o Setembro Amarelo (de alerta ao suicídio), entre outras.

Síndrome do X Frágil

A síndrome é causada por uma mutação em um gene (FMR1) que inibe ou reduz a produção de uma proteína (FMRP) essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso e de várias funções cerebrais. Os sintomas podem ser tratados e a sua transmissão pode ser evitada por meio de aconselhamento genético.

O Buko Kaesemodel, localizado em Curitiba, é uma entidade sem fins lucrativos, responsável pelo Programa Eu Digo X, de pesquisa, diagnóstico, orientação e mapeamento a respeito da síndrome.

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?