Estação Cultural da Vila C será entregue nesta quinta-feira (13)

 

A Prefeitura de Foz do Iguaçu, através da Fundação Cultural, entrega nesta quinta-feira (13), às 14 horas, a Estação Cultural da Vila C Nova, um espaço que dá vida à antiga Biblioteca Cidadã. Essa será a segunda unidade do projeto; a primeira está instalada no Terminal de Transporte Urbano (TTU), e atende o projeto Roda Livro (oferta de livros dentro de ônibus).

Por conta da pandemia, a entrega do espaço será marcada por uma visita técnica com número reduzido de pessoas, entre elas o prefeito Chico Brasileiro, representantes da Fundação Cultural e líderes comunitários.

O novo equipamento de cultura está sendo aguardado com muita expectativa pela comunidade. Após anos de abandono, a prefeitura assumiu o espaço e iniciou uma grande reforma. Com um investimento de R$ 300 mil, as obras tiveram início em janeiro deste ano com a construção de rampas de acesso, recolocação do telhado e várias melhorias estruturais. As salas ganharam novo reforço e o espaço também recebeu novos pisos e banheiros.
“É mais uma obra de transformação, que traz vitalidade a um espaço que estava abandonado. É um compromisso executado que vai potencializar a identidade daquela comunidade tão importante”, disse o Diretor Presidente da Fundação Cultural, Juca Rodrigues.
O espaço pretende receber importantes editais da cultura e funcionar como catalisador das manifestações populares e artísticas da região. Um ponto de encontro entre as escolas e a associação de moradores, que ficam na mesma rua. “Queremos possibilitar o convívio entre os moradores no espaço e ofertar atividades culturais como o projeto literário “Eu, você e uma história”, com cursos, saraus, atividades de formação e outros editais que já estão sendo estudados pela Fundação Cultural”, complementou Thaisa Praxedes, diretora de cultura.
Com vistas a garantir a preservação da unidade e também sua vitalidade, a ideia é construir uma gestão integrada. “Avançamos em projetos com a Unila e queremos sempre ampliar essa integração com a associação de moradores, e também com outras secretarias do município e com as entidades da sociedade civil”, concluiu Rodrigues.
Recursos
Os recursos da obra são oriundos do orçamento da Fundação Cultural e também de duas emendas impositivas feitas pelo vereador Beni Rodrigues e na época, pelo então parlamentar, Anderson Andrade.
Abertura
Em virtude da pandemia da Covid-19, a reabertura do espaço ainda não tem data para acontecer. Enquanto o local estiver fechado, funcionários da Fundação organizarão o espaço e agentes patrimoniais deverão ser deslocados para fazer a segurança. A gestão também fará  contratos para monitoramento e limpeza.
Professor Mosquito
A Estação Cultural leva o nome de João Sampaio, em homenagem ao violonista conhecido como Professor Mosquito. João Sampaio foi músico violonista, nascido em 18 de julho 1928, na cidade de Ribeirão Preto, São Paulo e era conhecido por todos do movimento artístico e cultural da região trinacional.
Ele faleceu em 2008, aos 79 anos, deixando os três filhos, Marcel, Marcos e Marina e a esposa Geny Sampaio. Filho do também violonista profissional Albertino Sampaio, desde cedo, Professor Mosquito acompanhava o pai em suas apresentações.
Iniciou sua carreira oficialmente aos 18 anos e integrou a conceituada Orquestra de Milano, onde conheceu grandes nomes como Nelson Gonçalves, Dilermano Reis e Moacir Franco.
Veio para Foz do Iguaçu em 1977 e por aqui viveu até sua morte.
Tocou em várias casas de espetáculos da cidade, foi professor da maioria dos artistas violeiros de Foz do Iguaçu. Apesar de seu problema de audição, que lhe rendeu uma aposentadoria por invalidez, continuou tocando violão, contrabaixo e cavaquinho, ensinando e encantando a todos com sua arte até o fim de sua vida.
Conhecido por sua alegria e paixão pela música, em 2000, lançou seu primeiro CD que fez parte do projeto “Nossa gente, Nossa Música”, e contou com arranjos de Waltel Blanco.
Assessoria
Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?