Câmara chama autoridades do Transporte Público para prestarem esclarecimentos

 

O transporte coletivo urbano voltou à pauta na Câmara Municipal de Foz do Iguaçu. O cenário de idas e vindas em um serviço que é essencial à população, motiva insatisfação há algum tempo e o Legislativo tem se posicionado no sentido de buscar esclarecimentos e soluções. Em vista disso, os vereadores aprovaram um requerimento que convida o Diretor Superintendente do FOZTRANS, o representante do Consórcio Sorriso e o representante da classe de profissionais do transporte coletivo de Foz do Iguaçu, para que compareçam à Câmara Municipal na 5ª Sessão Ordinária do mês de setembro, 15/09 a partir das 09h.

O objetivo é que prestem informações sobre a paralisação do transporte público, a falta de pagamento aos funcionários, linhas insuficientes para atender a população e o não cumprimento do sistema integrado aos passageiros. Outro requerimento sobre o mesmo assunto quer informações do Prefeito e cópias de todas as notificações por descumprimento do Contrato nº 135/2010, que é o contrato de concessão do serviço de transporte coletivo urbano operado pelo Consórcio Sorriso. Ambas as proposições são de autoria do vereador Celino Fertrin (Podemos).

Cumprimento da lei guias de turismo

Um requerimento 385/2020, da vereadora Anize Gazzoui (PL), requer do Prefeito Municipal informações referentes ao efetivo cumprimento da Lei nº 3.405/2007. A legislação trata da obrigatoriedade de contratação de guias de turismo quando há excursões na cidade. Mas, de acordo com reivindicações isso não estaria sendo cumprido. O requerimento também recebeu aprovação plenária e foi encaminhado para o Executivo.

Regularização do loteamento “Invasão do Congonhas”

Outro requerimento aprovado, de autoria do vereador Rudinei de Moura (Patriota), tocou na questão da moradia e nos problemas sociais relativos à habitação. A proposição pede informações sobre a regularização dos terrenos do loteamento conhecido como “Invasão do Congonhas”, no Bairro Três Lagoas, com o encaminhamento dos processos de licença ambiental, instalação da área e a cópia dos documentos que tratam da regularização. O local é o lar de mais de 60 famílias e precisa de algumas medidas para que os moradores possam fazer suas construções e residir em um local digno. A matéria recebeu aprovação e segue para o Executivo.

 

 

Foto: Marcos Labanca
Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?