Caçambas são oferecidas para controlar criadouros do Aedes aegypti nos bairros

 

O descarte incorreto de resíduos – como móveis, materiais de construção e entulhos – é um problema recorrente em Foz do Iguaçu e pode gerar criadouros propícios para o Aedes aegypti, entre outros vetores de doenças.

Para evitar essa infestação, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, em parceria com a Secretaria Municipal de Obras e Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Relações com a Comunidade, disponibiliza caçambas para o descarte de resíduos.

Os locais onde são colocadas as caçambas são escolhidos com base no “Mapa de Calor da Dengue”, instrumento utilizado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) para monitorar o comportamento da doença na cidade. Também é considerado o registro de notificações e casos confirmados da doença por bairro.

Segundo a secretária de Meio Ambiente, Angela Meira, é necessária a conscientização e a cooperação de todos para solucionar o problema. “O cuidado com o resíduo deveria ser uma preocupação individual, porém, quando é jogado em locais públicos se torna um problema de todos. É preciso compreender que essa ação afeta negativamente o bem-estar da cidade”, ressaltou.

O Programa conta com 30 caçambas que permanecem por uma semana em cada local determinado, prioritariamente comunidades em situação de vulnerabilidade social e em parceria com as associações de moradores. Não são feitos atendimentos individuais.

Os líderes das comunidades atendidas assinam um termo de responsabilidade, comprometendo-se a acompanhar integralmente as atividades no local do ponto de descarte de inertes, zelar pelo equipamento público, comunicar a comunidade local sobre os dias e horários para descarte, bem como sobre quais resíduos podem e não podem ser descartados nas caçambas.

Descarte correto

Os moradores precisam ficar atentos para fazer o uso correto das caçambas. Elas são destinadas para o descarte de resíduos domésticos, que não são recolhidos pela coleta de rejeitos e orgânicos, nem pela coleta de recicláveis, como restos de construção civil, madeiras e colchões. Galhos também são aceitos, mas devem ser dispostos no lado de fora.

É proibido o descarte de materiais que cheguem em caminhões ou caminhonetes. Estes devem ser encaminhados ao Aterro Sanitário. Já lâmpadas, baterias, telhas e outros materiais perigosos precisam ser devolvidos no local de compra ou deixados em pontos de coleta específicos.

 

Confira os locais no link clicando aqui.

Assessoria
Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?