Obras na Avenida Olímpio Rafagnin serão retomadas pela prefeitura de Foz

 

A Prefeitura de Foz do Iguaçu anunciou nesta quarta-feira (28) que, nos próximos dias, será aberta a licitação para a retomada das obras na Avenida Olímpio Rafagnin, marginal da BR-277. Os serviços na via foram paralisados em 2016 em virtude de indícios de irregularidades apontadas na Operação Pecúlio.

No ano passado, a Prefeitura recebeu a autorização para seguir o trâmite das obras, uma vez que o processo judicial foi concluído. A Secretaria Municipal de Obras, no entanto, precisou refazer o projeto, com nova sondagem e estudos de topografia, para garantir que os trabalhos atendam às necessidades de tráfego e dos moradores da região.

“Como esta obra precisa ter uma relação direta com a BR-277, era preciso discutir com o Departamento de Estradas de Rodagens e com a concessionária sobre as alterações. Foi um percurso longo para conseguirmos a aprovação final da Caixa Econômica, que agora foi concedida”, afirmou o prefeito Chico Brasileiro.

Nesta quarta-feira, foi assinada a autorização para o processo licitatório e o novo projeto foi apresentado pela Secretaria de Obras a empresários da região. A partir de então, o documento passa para autorização ao setor jurídico da administração municipal e, em seguida, é feito o lançamento do edital para a concorrência pública. Assim que concluída a licitação, a previsão é que as obras tenham duração de sete meses.

O investimento total nas obras, que envolvem sete quilômetros da avenida, fazendo a ligação entre Três Lagoas e o Parque Presidente, será de aproximadamente R$ 9,9 milhões. “É uma obra estratégica para o desenvolvimento da região e será muito importante para a mobilidade do setor logístico da cidade, que utiliza essa região de Três Lagoas”, ressaltou o prefeito.

De acordo com o secretário municipal de Obras, o projeto precisou ser refeito em alguns pontos e readequado em outros. “Alguns serviços que foram executados e perdidos, nós tivemos que refazê-los junto à planilha e o projeto da obra, por este motivo foi alcançado este valor de investimento”, explicou.

“Aqui reunimos empresários do ramo de eventos, feiras e congressos, e sempre ficávamos em uma situação bem delicada, porque a avenida nunca estava à altura do evento que vinha a Foz do Iguaçu”, contou o empresário Vilmar Andreola, proprietário de um hotel na região. De acordo com ele, é importante que seja aproveitado este momento em que o movimento do turismo está menor para a execução da obra.

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?