Associação quer replicar exemplo do uso sustentável do reservatório de Itaipu

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira, recebeu na última quinta-feira (19) representantes da Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidroelétricas e Alagados (AMUSUH), no Centro Executivo da Itaipu, em Foz do Iguaçu.

Durante o encontro, a associação mostrou interesse pela experiência da Itaipu com os usos múltiplos do reservatório, além das práticas de sustentabilidade que asseguram a qualidade da água. Uma próxima reunião com a Diretoria de Coordenação da Itaipu será marcada para dar continuidade à troca de experiências.

Na ocasião, o general também garantiu à associação que a Itaipu não vai deixar de repassar os royalties aos municípios, após a revisão do Anexo C do Tratado de Itaipu, em 2023. “A manutenção dos royalties está garantida”, afirmou. O recurso é repassado aos municípios que tiveram áreas alagadas pelo reservatório da usina. Na reunião, também foi debatido o potencial pesqueiro do reservatório.

Esse foi o primeiro encontro do general Ferreira com a associação, que representa mais de 700 municípios, entre sedes de usinas hidrelétricas e cidades alagadas por reservatórios, em 21 estados brasileiros. Também participaram do encontro o prefeito de Ilha Solteira e presidente da AMUSUH, Otávio Augusto Giantomassi; a prefeita de Araporã (MG), Renata Cristina Borges; o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; o prefeito de Guaíra Heraldo Trento; e a secretária executiva da AMUSUH, Terezinha Sperandio; além de assessores do diretor-geral brasileiro.

De acordo com o general Ferreira, Itaipu tem uma grande preocupação em manter a qualidade da água do reservatório, que significa a manutenção da produção de energia por muito mais tempo. Recentemente, a empresa recebeu solicitação do governo do Mato Grosso do Sul para aplicar a metodologia da Itaipu na recuperação da bacia do Rio Iguatemi, um dos afluentes do reservatório da Binacional, e que sofre com assoreamento.

“O cuidado com a água e a constante melhoria do uso de nossas máquinas têm feito Itaipu bater recordes de produtividade, ou seja, estamos produzindo mais energia com uma quantidade menor de água. E isso é fundamental nesses tempos de crise hídrica pelo qual estamos passando”, afirmou o diretor-geral. Segundo ele, Itaipu está de portas abertas para novos encontros e troca de experiências com a associação. “Colocamos as nossas equipes à disposição para novas conversas”, concluiu.

 

 

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?