Mães doadoras de leite participam de ação em lembrança do Agosto Dourado

O Banco de Leite Humano de Foz do Iguaçu, mantido pelo Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) e Prefeitura de Foz, com apoio da Itaipu Binacional e Rotary Clube, promoveu uma tarde diferente para algumas mães doadoras. Na quarta-feira, dia 11, elas ganharam uma arte gestacional e sessão de fotos, como presente pelo ato e também em celebração ao Agosto Dourado.

A arte gestacional é uma técnica de pintura com os mais variados temas, e que tem a proposta de eternizar o período da gravidez. O trabalho é realizado com maquiagem corporal à base d’água, não sendo nociva para a saúde da gestante e do bebê. O Agosto Dourado, instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS), busca conscientizar sobre a importância do aleitamento materno, que deve ser exclusivo nos primeiros seis meses de vida da criança, se estendendo até os dois anos ou mais.

Segundo a coordenadora do Banco de Leite, Roseli de Oliveira, a ideia foi proporcionar um momento diferente para as doadoras. “Queríamos evidenciar a amamentação, por meio da arte, da sensibilidade, do vínculo que representar esse momento, e também uma homenagem às mulheres”, falou. Além do desenho, feito na região da mama, as mães ganharam uma sessão de fotos, doada pela voluntária Fabiana Copetti.

Roseli afirma que muitas mães ainda têm medo ou receio de fazer uma doação. “É um processo simples e com benefícios para a mãe e o bebê. O Banco faz todo o acompanhamento, leva informação e ajuda as doadoras”, comentou. O local recebe, em média, 150 litros de leite materno que são repassados para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do HMCC. Ainda assim, a coordenadora alerta para a falta do leite.

“No último mês conseguimos arrecadar somente 100 litros de leite materno, então precisamos do apoio da comunidade, das mães aptas a doarem para que possamos ajudar mais crianças”, destacou.

 

Retribuição

Doadora na gravidez do primeiro filho, o Matheus, há dois anos e meio, Daiane Oliveira aproveitou o nascimento da pequena Catarina, no final de julho, para fazer a sua parte. A recém-nascida esteve internada 11 dias na UTI Neonatal. Neste período, não pôde tomar o leite produzido pela mãe, que aproveitou para doar. Daiane só não pensou que seria tanto: nove frascos, coletados em cerca de quatro dias.

“Foi a doação de outras mães que ajudaram a Catarina enquanto esteve internada, e eu achei dolorido produzir o leite e não usar, então doei”, disse. “São três fatores importantes: para a mãe ajuda no conforto; para o bebê na pega; e a doação que faz bem para a saúde das crianças”, lembrou Daiane.

Para o prematuro extremo o leite é essencial. Para as mães, o pensamento de que vai faltar leite não deve existir, já que o bebê consome apenas o necessário, e o corpo produz mais quando necessário. “A gente pensa que é só saúde, mas o benefício é ainda maior. Quem puder, não pode desperdiçar e deixar de salvar outras vidas”, pediu Daiane.

 

Como doar

Para fazer a doação, a mãe precisa ser saudável e estar amamentando. Não pode ter ingerido bebidas alcoólicas, nem feito uso de cigarro ou de remédios que passem no leite.

Quem deseja doar pode procurar o Banco de Leite de Foz do Iguaçu, localizado na Avenida Gramado, próximo do Hospital Costa Cavalcanti, ou entrar em contato pelo telefone (45) 3575-7983. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30.

 

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?