Ações de prevenção marcam o mês de luta contra as hepatites virais

A equipe do programa Consultório na Rua está intensificando as ações de prevenção e cuidado em relação às hepatites virais dentro da campanha Julho Amarelo. Nesta quinta-feira (15), pessoas atendidas pelo Centro Pop (Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua) acompanharam uma palestra e receberam kits de higiene. Também foram ofertados testes rápidos para as hepatites B e C, sífilis e HIV e vacinas contra a gripe.

O intuito, conforme explicou o enfermeiro André da Silva, é conscientizar a população sobre os riscos da doença – uma inflamação no fígado que pode ser causada por vírus (Hepatites Virais), pelo uso de alguns medicamentos, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas ou genéticas.

“A intenção é conscientizar, através da política de redução de danos, sobre a importância da prevenção e da vacinação. Medidas educativas de higiene, o uso de preservativos, o não compartilhamento de objetos pessoais são algumas das orientações repassadas. Além disso, ofertamos a avaliação bucal e as consultas médicas”, explicou.

“O objetivo do Consultório na Rua é levar a essas pessoas, que muitas vezes têm dificuldade de acessar uma unidade de saúde, atendimento e orientações para que mantenham os cuidados com a saúde, garantindo, assim, os direitos básicos que possuem como cidadãos de Foz do Iguaçu”, afirma a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônymo.

 

Ambulatório de Hepatites

Foz do Iguaçu possui um Ambulatório de Hepatites Virais para atendimento ao público, investigação e tratamento clínico das diferentes hepatites virais (A, B, C, D e E). Durante o acompanhamento, os pacientes podem realizar exames laboratoriais, incluindo exames de alta complexidade, para o diagnóstico e monitoramento das doenças.

Atualmente, 371 pacientes fazem tratamento para hepatite B e são acompanhados pelas equipes da saúde; 190 pessoas já foram identificadas com o tipo C, destes 185 já são considerados curados, com carga viral não detectável após cinco anos de tratamento.

Os exames podem ser feitos no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), anexo ao ambulatório de hepatites virais, na Avenida JK, 2826, no antigo Hotel Bellas Águas. O atendimento é de segunda a sexta-feira das 7h às 13h.

 

Doença

As hepatites nem sempre apresentam sintomas, mas quando aparecem podem se manifestar na forma de cansaço, febre, mal-estar, enjôo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

A Hepatite Viral A pode ser transmitida pelo contágio fecal-oral, especialmente em locais com condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos. A Hepatite viral B e C pode ser transmitida pela relação sexual desprotegida; pelo contato com sangue contaminado, através do compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos cortantes; da mãe para o filho durante a gravidez (transmissão vertical), e por meio de transfusão de sangue ou hemoderivados.

A hepatite D ocorre apenas em pacientes infectados pelo vírus da hepatite B. Já a hepatite E é transmitida por via digestiva (transmissão fecal-oral), provocando grandes epidemias em certas regiões. A hepatite E não se torna crônica, porém, mulheres grávidas que forem infectadas podem apresentar formas mais graves da doença.

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?