Frio faz aumentar a procura por acolhimento nas casas de passagem em Foz do Iguaçu

A Secretaria de Assistência Social registrou um aumento no número de acolhimentos em Foz do Iguaçu desde o início desta semana, quando as temperaturas na cidade têm sido as mais baixas do ano. Ao todo, 150 vagas são ofertadas em três casas de passagens, sendo 90 somente para o público masculino, que representa a maior população em situação de rua.

Hoje, quase todas as vagas estão ocupadas, mas a prefeitura trabalha com um plano de ação priorizando o atendimento para as pessoas que mais necessitam. “Preparamos nossos equipamentos para ofertar espaços além dos já existentes. Nenhuma pessoa ficará sem atendimento”, afirmou o secretário de Assistência Social, Elias de Sousa Oliveira.

Na noite de segunda-feira (28), quando Foz registrou -1°C, as equipes da Assistência Social realizaram 38 abordagens a pessoas em situação de rua e 16 aceitaram o acolhimento. “O serviço não é compulsório, ou seja, ninguém é obrigado a aceitar o acolhimento. É feito um trabalho de convencimento, mas nem sempre a pessoa quer. Neste caso, entregamos cobertores para que ela tenha o mínimo de condições de passar a noite”, explicou Elias.

 

Doações

Com o aumento da demanda nas casas de passagem, a Secretaria de Assistência Social conta com ajuda de parceiros para doações de roupas, calçados e cobertores – itens ofertados aos usuários durante o acolhimento. “Precisamos especialmente de roupas masculinas, mas todas as doações são bem vindas”, disse a diretora de Proteção Social Especial, Dayse Mara Bortoli. As doações podem ser entregues de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, na sede da Secretaria de Assistência Social, na Av. Jorge Schimmelpfeng, 111, em frente a Igreja São João Batista.

 

Acolhimento

A Prefeitura de Foz do Iguaçu mantém como prioridade o serviço especializado de abordagem social e o acolhimento para pessoas em situação de rua. Qualquer pessoa nessa situação pode procurar o Centro Pop (Centro Especializado de Assistência Social para a População em Situação de Rua), no Jardim São Paulo, para buscar o atendimento. O funcionamento é das 7h às 19 horas, todos os dias.

“Aquelas pessoas que não aceitam passar a noite numa casa de passagem podem receber atendimento via Centro Pop. Elas recebem roupas, alimentação e podem utilizar o espaço para tomar banho”, explicou Dayse.

 

Abordagem Social

As situações de rua também podem ser relatadas pelo telefone da Abordagem Social – 08000 45 14 07. Neste caso, as equipes de educadores sociais farão a abordagem e encaminharão a pessoa até o Centro Pop, onde ela será direcionada a uma das três casas de passagem. O serviço de abordagem social funciona 24h.

 

Estrutura

As casas funcionam como um abrigo provisório, onde jovens, adultos e idosos podem permanecer por até 90 dias. Nos locais são disponibilizadas refeições, produtos de higiene pessoal e roupas. Também são promovidas ações para o fortalecimento da autonomia da população em situação de rua.

No primeiro atendimento pelo Centro Pop é feita uma triagem e o encaminhamento, conforme o perfil de cada pessoa. A Casa de Passagem I – Mão Amiga, localizada no Jardim São Paulo, atende idosos, famílias ou mulheres com crianças. A Casa de Passagem II, no Porto Belo, atende somente o público masculino e a Casa de Passagem III – Albergue Noturno Lar Esperança, no Jardim América, atende homens e mulheres, com prioridade de vagas para migrantes e refugiados.

 

Serviços

O Centro Pop fica na Rua Monsenhor Guilherme, 527- Jardim São Paulo.

Funcionamento: Diariamente, das 7h às 19h.

Telefone: 3901-3261.

Serviço de Abordagem Social: – 08000 45 14 07.

Funcionamento 24h.

 

 

 

 

Assessoria

 

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?