Escolha por vacina contra a Covid pode atrasar processo de imunização em Foz

A Campanha de Vacinação contra a Covid-19 pode ser prejudicada devido ao comportamento de muitos moradores que têm rejeitado a primeira dose porque não aceitam o imunizante disponível na unidade de saúde. Segundo a coordenadora do programa de imunização, Adriana Izuka, casos de pessoas rejeitando a vacina estão sendo frequentes e preocupam a Secretaria de Saúde.

“Esse comportamento pode atrasar o processo de imunização e, consequentemente, o fim da pandemia. Temos 40% da população vacinada com a primeira dose e cerca de 14% completou a imunização com as duas doses. Não está na hora de escolher vacina. Precisamos avançar com a campanha”, disse Izuka.

Desde o início da vacinação, em janeiro deste ano, três imunizantes foram repassados pelo Governo do Estado ao Município – Coronavac, Atrazeneca e Pfizer – todos com eficácia científica comprovada. “Todas as vacinas foram testadas e garantem proteção. A vacina é um pacto coletivo, quando todo mundo se vacina, conseguimos formar uma barreira para o vírus, diminuindo a transmissão, a internação e os óbitos, e é disso que precisamos para acabar com essa doença” salientou Adriana.

Para a secretária de saúde, Rosa Maria Jerônymo, a rejeição de algumas pessoas quanto à determinada marca de vacina pode ser fruto da desinformação. “Nunca tivemos questionamentos quanto à qualidade das vacinas. As pessoas nunca quiseram saber a marca da vacina contra o sarampo ou a rubéola, por exemplo. Todas as vacinas contra a Covid têm eficácia comprovada e o importante agora é garantir a imunização”, afirmou.

Em Foz do Iguaçu, 936 pessoas perderam a vida para a doença desde o início da pandemia. Atualmente, 421 pessoas estão em isolamento domiciliar e 188 pessoas estão internadas. A ocupação de leitos de UTI do Hospital Municipal está em 100% desde o dia 7 de maio.

 

Vacinação

Até agora, foram aplicadas 106.319 doses das vacinas contra a Covid, 79.368 de primeira dose e 26.951 de segunda dose. Nesta fase estão sendo vacinadas pessoas acima de 53 anos (população em geral) e profissionais da saúde acima de 40 anos (Assistentes sociais, biólogos, biomédicos, profissionais de educação física, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, médicos, médicos veterinários, nutricionista, odontólogos, psicólogos e terapeutas ocupacionais).

Também seguem sendo imunizados os grupos prioritários: Pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, trabalhos da educação (ensino básico e superior); idosos acima de 60 anos, trabalhadores do transporte aéreo, trabalhadores portuários e forças armadas.

A população estimada do município – acima de 18 anos – é de 198.169 pessoas.

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?