Atendimentos de maio no Plantão Covid já superam total de abril

A alta na média móvel dos casos de infecção por coronavírus é constatada no aumento de atendimentos do Plantão Covid. O serviço, que encaminha pessoas com suspeitas da doença, fez entre 1º maio a 28 de maio aproximadamente 13,5 mil atendimentos, muito superior às ações de abril – 10.242 registros.

O Plantão Covid, de acordo com o coordenador Ulisses Figueiredo, centraliza os atendimentos e distribui os casos para a Telemedicina, Atendimento Domiciliar e Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O serviço foi criado para prestar assistência às pessoas sintomáticas respiratórias, ou àquelas que fizeram um teste na farmácia com resultado positivo. Nestes casos, as pessoas ligam ou mandam mensagem para o plantão, que trabalha com um médico plantonista juntamente com os estagiários, responsáveis pela operação, atendimento e triagem.

No atendimento, as equipes registram os sintomas e questionam se a pessoa fez ou não o exame para detecção do coronavírus. “Todos esses dados são registrados e é feito um levantamento dos sintomas. Caso ainda a pessoa ainda não tenha feito, é agendado o exame. Além disso, a pessoa pode sair com a prescrição de medicamentos, de acordo com a sua clínica”, informa o coordenador.

 

Procedimento

A partir daí, de acordo com Figueiredo, se o paciente for idoso ou tiver alguma comorbidade, é direcionado ao atendimento domiciliar. O serviço é realizado por quatro equipes de médicos, enfermeiros e fisioterapeutas. As equipes fazem a visita e o atendimento também por telefone e a telemedicina para os demais usuários dos serviços de saúde. “Ao longo de cinco meses, foram mais de 1.500 atendimentos médicos, de enfermagem e fisioterapia”, ressaltou.

 

Telemedicina

A telemedicina é formada por médicos que monitoram os pacientes para saber como está a evolução do quadro da doença e se precisam de alguma medicação. “Além disso, a prefeitura dispõe de estagiários que fazem ligações diárias para saber como esse paciente está e, dependendo do quadro clínico, da reclamação apresentada, também é direcionado ao atendimento médico”.

“Estamos trabalhando de forma integrada, o Plantão Covid a Telemedicina e o Atendimento Domiciliar Covid. Se em algum momento o quadro do paciente se agrava, ele é encaminhado a uma das UPAs, ou ao Hospital Municipal, dependendo da evolução”, explicou o coordenador. Se após 10 dias, 12 ou 14 dias tiver estabilizado, volta para suas atividades da vida diária.

 

Resistência

Nas visitas às residências, de acordo com o coordenador do programa, alguns pacientes, mesmo diante da positividade dos casos de seus familiares e presença dos mesmos sintomas, não fazem o teste. “Nesse caso, pedimos para que eles entrem em contato com o plantão e agendem o exame”, disse.

As equipes, ao longo dos trabalhos, têm verificado que algumas pessoas desrespeitam o termo de isolamento. “Ao chegarmos na casa deles para visitas, não estão ou os seus familiares estão fora do domicílio. O isolamento deve ser cumprido por todas as pessoas que residem no imóvel”, alertou.

Recentemente, o Ministério da Saúde editou uma portaria que estabelece o rito administrativo para determinar o isolamento. Existe um termo de consentimento, em que cada paciente, ao ser notificado como suspeito ou confirmado, deve assinar se comprometendo com o isolamento.

Caso recuse assinar, a autoridade sanitária pode acionar a Polícia, o Ministério Público e o Juiz determinar o isolamento. Insistindo na desobediência, o paciente poderá sofrer sanções como pagamento de multa, ou ainda ficar sujeito a pena de um mês a um ano de reclusão.

 

Apelo

Figueiredo conclui fazendo um apelo para todos manterem os cuidados. “A pandemia não acabou. Coisas simples estão à nossa disposição, como manter distanciamento ao falarmos com as pessoas, lavar bem as mãos e usar máscaras. Precisamos nos cuidar, por nós e pelos outros”.

“Passaremos pela pandemia e sairemos fortalecidos como sociedade. A saúde de Foz do Iguaçu está à disposição dos Iguaçuenses”, completou. O acesso ao serviço do Plantão Covid por ser feito pelo telefone (45) 3521-1800 (Whatsapp e ligação) ou ligação gratuita pelo 0800 645 5655.

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?