Casas na Avenida Brasil podem ser tombadas para preservação do patrimônio

A Fundação Cultural de Foz do Iguaçu entrou com pedido de tombamento como patrimônio histórico de três casas situadas na Avenida Brasil. A solicição tem como base a Lei 4.470/2016 de Proteção do Patrimônio Cultural, Histórico, Artístico e Ambiental do município.

A proposta é preservar a arquitetura dos imóveis, impedindo sua destruição ou descaracterização, podendo restaurá-los futuramente e transformá-los em espaços culturais do município.

As casas, onde hoje funcionam repartições públicas, foram inauguradas em 1950 pelo então governador Moysés Lupion, e serviram, à época, de residência ao Governo do Estado do Paraná. Os imóveis também já abrigaram a delegacia da mulher e do turista, o Procon e o Instituto de Identificação da Polícia Civil.

Casarão da Quintino

Outro imóvel que poderá ser tombado está localizado na Rua Quintino Bocaiúva, onde funciona atualmente o setor técnico do Instituto de Habitação de Foz do Iguaçu (Fozhabita).

O prédio histórico foi construído em 1952, na gestão do prefeito Guaraná de Menezes, e funcionou como o primeiro mercado municipal de Foz do Iguaçu. O imóvel também abrigou a sede da Fundação Cultural, nos anos 90, a Codefi (Companhia de Desenvolvimento de Foz do Iguaçu) e a Casa do Teatro.

Uma equipe de técnicos e diretores da Fundação Cultural esteve no local na segunda-feira (24) para avaliar a estrutura, que permanece com suas algumas das suas características originais. O terreno também abriga uma escultura do artista plástico iguaçuense Haroldo Alvarenga, falecido em 2013.

“Com o tombamento, cabe à Fundação Cultural e ao CEPAC (Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural) executar as políticas públicas que envolvam pesquisas, a conversação e o registro desses patrimônios”, explicou Vera Vieira, coordenadora do Patrimônio Histórico da Fundação Cultural.

Preservação do Patrimônio

O trabalho da diretoria de patrimônio juntamente com o CEPAC tem ganhado força com o desenvolvimento de ações e projetos que visam à preservação da história do município. “A Fundação vem desenvolvendo e estruturando junto ao CEPAC ações, projetos e programas com intuito de preservar o legado cultural e histórico da cidade. Entre essas ações está a criação de um Centro Histórico de Foz do Iguaçu, que compreende o restauro e o tombamento de alguns imóveis de relevante importância histórica e cultural na região de entorno da Praça da Paz, na Avenida Juscelino Kubitschek, e Avenida Brasil”, comentou o presidente da Fundação, Juca Rodrigues.

O primeiro projeto, já em andamento, é o restauro e posterior tombamento do imóvel situado na Avenida JK, onde será a abrigada a Casa da Memória de Foz do Iguaçu, um espaço que irá receber, restaurar, organizar, preservar e divulgar os registros visuais, sonoros, bibliográficos e documentais relativos à história, à memória, à identidade e à produção histórica e cultural da cidade.

Como solicitar o tombamento histórico?

Qualquer cidadão pode fazer o pedido de tombamento junto ao Protocolo do Município. A proposta, quando apresentada pelo proprietário ou qualquer interessado, pessoa física ou jurídica, é encaminhada à Fundação Cultural de Foz do Iguaçu, que instruirá o processo, encaminhando-o para o Conselho Municipal de Patrimônio Cultural, que emitirá o parecer final sobre os pedidos.

O que pode ser tombado?

São mecanismos de proteção do Patrimônio Cultural do Município de Foz do Iguaçu o Tombamento e o Inventário de Bens Culturais. O tombamento pode ser aplicado a bens imóveis, esculturas e monumentos de interesse cultural/ambiental e o inventário é o mecanismo de proteção a bens culturais, como danças, músicas, gastronomia, vestuários, etc.

 

 

 

 

Assessoria

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?