Licitações das obras de revitalização da Avenida das Cataratas e da duplicação da BR-469 devem sair até julho

Mais duas obras devem sair do papel nos próximos dois meses em Foz do Iguaçu: a revitalização de quatro quilômetros da Avenida das Cataratas, entre os trevos da Avenida Jorge Schimmelpfeng e do acesso à Argentina, e a duplicação dos nove quilômetros da BR-469 – continuidade da Avenida das Cataratas – entre o trevo de acesso do aeroporto internacional e a entrada do Parque Nacional do Iguaçu. Os investimentos alcançam mais de R$ 160 milhões.

O anúncio, feito pelo governador Ratinho Junior nesta quarta-feira (26) revitaliza o principal corredor turístico de Foz, ligando as Cataratas do Iguaçu ao centro da cidade. As melhorias na avenida, previstas em R$ 20 milhões, incluem a recomposição da malha viária, alargamento das pistas, calçada, ciclovia, paisagismo e iluminação, além do alargamento e duplicação das pistas, rotatórias, retornos em nível e faixas elevadas para pedestres.

Ratinho Junior deve anunciar a obra na sua próxima visita à Foz, aguardada para junho. Já a licitação para a duplicação deve ocorrer, segundo o governador, entre os meses de junho a julho. “As obras de infraestrutura normalmente dependem de uma análise mais criteriosa do projeto. Como é uma rodovia federal, tem essa previsão, mas quem vai fazer a obra é o Governo do Estado”.

“Tivemos que encaminhar o projeto ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte) em Brasília, mas a obra já está autorizada pelo presidente Jair Bolsonaro e custeada pela Itaipu Binacional. O DNIT aprovou o projeto, acredito que no mês de junho ou julho no máximo, já vamos abrir a licitação e no segundo semestre começa”, disse o governador.

Obras importantes

Ratinho Junior ressaltou que batalhou muito pela obra “porque é uma infraestrutura importantíssima para o desenvolvimento de Foz do Iguaçu, no setor de hotelaria, para novos investimentos e empreendimentos”.

A duplicação de nove quilômetros da BR-469 prevê um investimento de R$ 140 milhões.  Pelo trecho, antes da pandemia, passavam aproximadamente 16,1 mil veículos diariamente, provocando congestionamentos e acidentes.

O volume de turistas que virão para Foz do Iguaçu “é um negócio absurdo”, acredita o governador. “Então, essa obra era muito estratégica para desenvolver o turismo.

Outras duas obras estratégicas para as operações logísticas é a segunda ponte sobre o rio Paraná e a Perimetral Leste, que fará a ligação entre as BR’s 277 e 469, desviando o tráfego pesado do centro da cidade. “Há 50 anos se falava dessa ponte e tiramos do papel, o Governo do Estado está fazendo essa obra e a Itaipu financiando. O volume de obras em Foz do Iguaçu é transformador. Eram obras que prometiam há mais de 20, 30 anos e nós, em dois anos, tiramos do papel”.

 

 

 

 

Assessoria

 

Facebook
Google+
Twitter
× Como posso te ajudar?